Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Grande Lição!

 

 

HISTÓRIA VERDADEIRA - **APÓS O TORNADO** *

A história começa quando os voluntários encontraram este pobre cão a quem deram o nome de Ralphie.

 
Ralphie, assustado e esfomeado, juntou-se aos seus salvadores 
Pensávamos que nada sobreviveria após isto... mas estavamos enganados.
Esta pequena "senhorita" também sobreviveu à desgraça. 
Aqui está ela já acomodada no carro - assustada mas segura e eles... eles já não estão sozinhos.
Ficam amigos instantaneamente, confortam-se um ao outro no carro após adicionar aos dois cães, mais dois beagles encontrados, vem também este gato !

E agora então, um novo viajante para juntar à turma... (nota: o gato entra directo para o banco traseiro, como que (a necessitar de aconchego...) e agora, como é que isto vai funcionar??? Cães e o gato juntos??? (e lembrem-se: eles são todos estranhos uns aos outros)
Uau! As coisas que nós aprendemos com estes nossos amigos...
Se a humanidade pudesse aprender lições tão valiosas como esta. Lições de amizade instantânea - de paz e solidariedade.

De harmonia pela via do respeito mútuo, sem olhar a cor, raça ou religião, orientação sexual, etc!
Estes bichinhos dizem-nos: "o que interessa é que estamos vivos e não estamos sós".
Sim, é com certeza isso!
Por isso... vive, ama, rí. A vida é um presente... desembrulha-o! 


"Chegará o dia em que os homens conhecerão o íntimo dos animais, e, 
neste dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra 
a humanidade"


Leonardo da Vinci (1452-1519)

música: Say I - Christina Milian feat. Young Jeezy

Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Poema

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo.
E posso evitar que ela vá à falência.


 

 
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os
desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar se ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de econtrar um oásis
no recôndito da sua alma.


 

 
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
 
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou contruir um castelo...
 
 
 
 
música: Le Cose Que Vivi - Laura Pausini

Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Lições de Vida: A Cenoura, o ovo e o café

 

Uma filha queixou-se ao seu pai da sua vida e de como tudo estava difícil para ela. Já não sabia o que fazer. Estava cansada de lutar, sem obter resultados. Apetecia-lhe desistir. Parecia que, mal resolvia um problema, logo outro lhe aparecia, numa sucessão sem fim e sem descanso.

O pai, encheu três panelas com água e colocou cada uma delas sobre lume alto.
Na primeira, colocou ainda cenouras.
Na segunda, deitou ovos.
E, na terceira, despejou café em pó. Sem dizer uma palavra, deixou que tudo fervesse.

Cerca de vinte minutos depois, apagou o lume.
Retirou as cenouras da primeira panela e colocou-as num prato.
Retirou os ovos da segunda panela e colocou-os num recipiente.
Finalmente, com uma concha, retirou o café e colocou-o numa tigela.

Virando-se para a filha, perguntou-lhe o que via.

- Cenouras, ovos e café - respondeu ela.

O pai pediu-lhe para se aproximar e experimentar as cenouras. Ela assim fez e reparou que as cenouras, cozidas, estavam macias. O pai disse-lhe então para pegar num ovo e descascá-lo. Ela assim fez e verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, o pai disse-lhe que bebesse um pouco de café. Ela assim fez, sorrindo ao notar o seu aroma delicioso.

Mas a filha estava confusa e perguntou ao pai onde queria ele chegar.

Então o pai explicou-lhe que os três diferentes géneros tinham sido submetidos à mesma adversidade: água a ferver. Mas tinham reagido de maneira diferente.

A cenoura entrara na água, forte, firme e dura. Mas depois de submetida aos efeitos da água fervente, amolecera e tornara-se frágil.

Já os ovos eram frágeis quando entraram na água, com o seu interior líquido apenas protegido por uma fina casca. Mas, depois de terem sido fervidos na água, o seu interior endurecera.

Porém, o pó de café era incomparável: uma vez colocado na água a ferver... mudara a água!!!

As pessoas, em face da adversidade, podem comportar-se como estes três elementos. Uns, como a cenoura, podem parecer fortes mas, submetidos à adversidade e à dor, murcham, tornam-se frágeis e perdem a sua força.
Outros, como o ovo, começam com o coração maleável e o espírito fluido mas, submetidos às adversidades da vida, tornam-se duros e inflexíveis. A sua casca exterior parece a mesma, mas estão mais amargos e obstinados, com o coração e o espírito inflexíveis.

Finalmente, há aqueles que são como o pó de café. Este muda a água fervente, o elemento que lhe causa dor. Quando a água chega ao ponto máximo da sua fervura, o café atinge o máximo do seu aroma e sabor.

Procura ser como o café para que, quando as coisas se tornam difíceis, consigas reagir de forma positiva, tornando-te cada vez melhor, sem te deixares vencer pelas circunstâncias, e fazendo com que tudo à tua volta se torne cada vez melhor!

(Luís Miguel)


Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

MÃE, EU QUERO IR-ME EMBORA

 

 

Mãe, eu quero ir-me embora – a vida não é nada
daquilo que disseste quando os meus seios começaram
a crescer. O amor foi tão parco, a solidão tão grande,
murcharam tão depressa as rosas que me deram –
se é que me deram flores, já não tenho a certeza, mas tu
deves lembrar-te porque disseste que isso ia acontecer.


Mãe, eu quero ir-me embora – os meus sonhos estão
cheios de pedras e de terra; e, quando fecho os olhos,
só vejo uns olhos parados no meu rosto e nada mais
que a escuridão por cima. Ainda por cima, matei todos
os sonhos que tiveste para mim – tenho a casa vazia,
deitei-me com mais homens do que aqueles que amei
e o que amei de verdade nunca acordou comigo.


Mãe, eu quero ir-me embora – nenhum sorriso abre
caminho no meu rosto e os beijos azedam na minha boca.
Tu sabes que não gosto de deixar-te sozinha, mas desta vez
não chames pelo meu nome, não me peças que fique –
as lágrimas impedem-me de caminhar e eu tenho de ir-me
embora, tu sabes, a tinta com que escrevo é o sangue
de uma ferida que se foi encostando ao meu peito como
uma cama se afeiçoa a um corpo que vai vendo crescer.


Mãe, eu vou-me embora – esperei a vida inteira por quem
nunca me amou e perdi tudo, até o medo de morrer. A esta
hora as ruas estão desertas e as janelas convidam à viagem.
Para ficar, bastava-me uma voz que me chamasse, mas
essa voz, tu sabes, não é a tua – a última canção sobre
o meu corpo já foi há muito tempo e desde então os dias
foram sempre tão compridos, e o amor tão parco, e a solidão
tão grande, e as rosas que disseste um dia que chegariam
virão já amanhã, mas desta vez, tu sabes, não as verei murchar.

Maria do Rosário Pedreira
In "O Canto do Vento nos Ciprestes"

sinto-me:
música: E Namorar - Lara Li

Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

Penélope

 

 

Penélope, o teu olhar profundo
Faz-me sentir impotente,
Frágil e doente,
Mas também, senhor dono do Mundo.

Penélope, o teu sorriso
Consegue tirar-me o juízo.
Não consigo em mais nada pensar
do que ter nascido para te amar.

Penélope, enlouqueces-me com o teu corpo belo,
que sonho um dia poder tê-lo
E nunca mais perdê-lo.
Penélope, és a minha donzela encantada,
Que há muito tempo deixou a minha alma apaixonada.

música: Two Hearts - Kylie Minogue
tags: ,

Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008

Água Na Boca - Lara Li



Louca,

sou louca por gestos suspensos no ar,

Beijos na boca

Que nunca se chegam a dar!...

 

Eu sei...

Cansei

De te ver sem te olhar

Não sei, não sei...

 

Louca, sou louca

Pelo fogo que não vejo arder

Água na boca

Ter sono e não adormecer

 

Eu sei, eu sei...

 

Eu sei lá se é a lua

Que me despe na rua

Eu sei lá, já nem sei!

 

Eu sei lá

Quando durmo

Se vou acordar...

 

Eu sei lá se sou tua,

Se me visto, ou estou nua,

Eu sei lá, já nem sei!..

 

Eu sei lá, se me rio

Ou se vou chorar!

 

 

 

sinto-me:
música: Água Na Boca - Lara Li

Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

Amor é...

Amor é um fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente;
é um contentamento descontente
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões, Poesia Lírica
sinto-me:
música: Ser Poeta - Sara Tavares e Rita Guerra

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

Citações

O amor!...

 

 

 Grandes palavras antes, 

 

palavrinhas durante

 

palavrões depois.

sinto-me:
música: I Need Love - Laura Pausini

A vida...

 
 
Óh, minha vida...
Quanto eu mais te vivo,
mais eu me sinto perdida.
Esta vida é só sofrimento,
Angústias e desilusões.
O meu coração padece fraco
De tão doente que está.
Enfrento a vida com a espada da esperança
E com o escudo da mudança.
Luto contra o desespero,
a angústia, o medo, o preconceito e a desilusão.
Mas não consigo...
Os meus inimigos são muito mais fortes que eu...
Afoguei-me nas mágoas da tristeza,
da solidão e da desilusão.
A minha alma morreu, embora o meu corpo permanece
Aparentemente vivo, mas inerte porque está cansado de viver.
Cansado de sofrer
De desilusões ter.
E de lágrimas verter,
Mas ainda continua com a esperança
De algum dia morrer,
Para paz, finalmente ter.
sinto-me:
música: Next To You - Jordin Sparks

Domingo, 10 de Fevereiro de 2008

Medo

 

 

Sinto um medo enorme dentro de mim.

Um vazio cá dentro.

Tu deixas-me assim.

Isto é um autêntico tormento.

 

Ainda não te conheci,

Mas de te conhecer, já eu desisti.

Podias ter sido brisa viva em mim,

Mas já não espero por ti.

 

Todas os dias penso como seria amizades novas fazer.

Mas a solidão,

Apodera-se do meu coração

E só me apetece desaparecer.

 

Fujo de mim,

Fujo da minha felicidade.

Tudo por que tenho medo de sofrer

Medo de nunca te ter.

 

Por favor, fala comigo,

Tem-me carinho e amizade

Não te peço nada mais,

Senão um pouco de cumplicidade.

sinto-me: triste, vazia, amargurada
música: Eu Gosto Tanto de Ti - Lara Li

.mais sobre esta alma


. ver perfil

. seguir perfil

. 43 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.sonetos recentes

. ...

. Mais um ano se passou!..

. Como superar uma amizade ...

. I'm a misunderstood littl...

. Já que 10-10-10 é dia de ...

. Informações básicas

. Blog encerrado para féria...

. Apontamentos

. Novidadesinhas...

. Excesso de Disciplina - F...

.armário dos sonetos

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2012

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma outra paragem

. NÃO ...

. Penteados em tempo de aul...

. Quem escreveu isto é um g...

. Amor vândalo

. O IDIOTA E A MOEDA

. Respostas Reais

. Historia de Portugal em p...

. Dia do nosso Nascimento

. Conversa entre Ministros

.outros luares

.Campanhas Lunares

lays by verdinha lays by verdinha lays by verdinha

lays by verdinha
lays by verdinha lays by verdinha
SAPO Blogs

.subscrever feeds