Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

MÃE, EU QUERO IR-ME EMBORA

 

 

Mãe, eu quero ir-me embora – a vida não é nada
daquilo que disseste quando os meus seios começaram
a crescer. O amor foi tão parco, a solidão tão grande,
murcharam tão depressa as rosas que me deram –
se é que me deram flores, já não tenho a certeza, mas tu
deves lembrar-te porque disseste que isso ia acontecer.


Mãe, eu quero ir-me embora – os meus sonhos estão
cheios de pedras e de terra; e, quando fecho os olhos,
só vejo uns olhos parados no meu rosto e nada mais
que a escuridão por cima. Ainda por cima, matei todos
os sonhos que tiveste para mim – tenho a casa vazia,
deitei-me com mais homens do que aqueles que amei
e o que amei de verdade nunca acordou comigo.


Mãe, eu quero ir-me embora – nenhum sorriso abre
caminho no meu rosto e os beijos azedam na minha boca.
Tu sabes que não gosto de deixar-te sozinha, mas desta vez
não chames pelo meu nome, não me peças que fique –
as lágrimas impedem-me de caminhar e eu tenho de ir-me
embora, tu sabes, a tinta com que escrevo é o sangue
de uma ferida que se foi encostando ao meu peito como
uma cama se afeiçoa a um corpo que vai vendo crescer.


Mãe, eu vou-me embora – esperei a vida inteira por quem
nunca me amou e perdi tudo, até o medo de morrer. A esta
hora as ruas estão desertas e as janelas convidam à viagem.
Para ficar, bastava-me uma voz que me chamasse, mas
essa voz, tu sabes, não é a tua – a última canção sobre
o meu corpo já foi há muito tempo e desde então os dias
foram sempre tão compridos, e o amor tão parco, e a solidão
tão grande, e as rosas que disseste um dia que chegariam
virão já amanhã, mas desta vez, tu sabes, não as verei murchar.

Maria do Rosário Pedreira
In "O Canto do Vento nos Ciprestes"

sinto-me:
música: E Namorar - Lara Li

4 comentários:
De Sara a 22 de Fevereiro de 2008 às 22:03
Uma pessoa tem a liberdade de tomar as suas opções. A personagem, a mulher que é retratada no poema, talvez também tivesse que tomar essas opções, e foram essas que a encaminharam por esses caminhos. Se ela quisesse mudar, optava por outra coisa, mas desistir não é, definitivamente, a opção correcta.
Um poema triste, um poema melancolico, e que, honestamente, manda a mensagem errada. Quando tudo corre mal, mesmo que nao pareça, ainda há esperança, e a mensagem que o poema diz é que essa esperança so pode ser encontrada para além da vida, para além da morte, o que nao é verdade.
Beijinho


De António a 28 de Maio de 2013 às 13:46
cara ignorante,
não percebe que o objetivo do poema é retratar um sentimento da personagem? este poema não está a transmitir a mensagem de que o suicídio é uma coisa boa .|.


De **suspiro** a 25 de Fevereiro de 2008 às 22:38
Mãe, quero desaparecer!
Nunca disseste que ficaria gorda como uma vaca, nunca disseste que seria a miúda mais feia do mundo, nunca disseste que iam gozar comigo alguma vez.
Dizias que eu era linda, e eu acreditava. Acreditava porque, ao teu lado, todas as coisas eram possíveis. MAs agora, que saí cá para fora, vejo que há pessoas mais bonitas do que eu.
Vejo que esmoreço, vejo que me tenho deixado cair ao longo do tempo.
Vou desaparecer, mãe.
Adoro-te... mas porque é que não me abortaste?


De Lúcia a 28 de Março de 2011 às 09:54
Eu prefiro acreditar que tudo na vida tem solução, mas acima de tudo devemos gostar de nós mesmos. A morte nunca foi, nem nunca será a solução. O amor aparece das formas mais variadas na vida, e apenas quando estivermos preparados o iremos sentir, Tudo tem o seu momento.


Comentar soneto

.mais sobre esta alma

.pesquisar

 

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

23
24
25
26
27
28

29
30
31


.sonetos recentes

. ...

. Mais um ano se passou!..

. Como superar uma amizade ...

. I'm a misunderstood littl...

. Já que 10-10-10 é dia de ...

. Informações básicas

. Blog encerrado para féria...

. Apontamentos

. Novidadesinhas...

. Excesso de Disciplina - F...

.armário dos sonetos

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2012

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Uma outra paragem

. NÃO ...

. Penteados em tempo de aul...

. Quem escreveu isto é um g...

. Amor vândalo

. O IDIOTA E A MOEDA

. Respostas Reais

. Historia de Portugal em p...

. Dia do nosso Nascimento

. Conversa entre Ministros

.outros luares

.Campanhas Lunares

lays by verdinha lays by verdinha lays by verdinha

lays by verdinha
lays by verdinha lays by verdinha
blogs SAPO

.subscrever feeds